Razão x Emoção

A tênue linha que divide o desejo da compra impulsiva e o respeito à situação financeira atual é o ponto chave entre uma atitude correta que trará benefícios a todos ao seu redor e um possível problema que transformará qualquer aquisição – que deveria ser algo bom e agradável – em um motivo para preocupações e noites mal dormidas.

É preciso lembrar que na hora de decidir a favor da emoção muitas desculpas podem tomar conta da mente. Pensamentos como “chega de sofrer sem o que eu gosto” ou “depois eu dou um jeito de pagar” podem camuflar situações posteriores de dificil resolução.

Como exemplo podemos citar os inúmeros golpes aplicados através da internet que utilizam a “engenharia social” como principal apelo para convencer a vítima a entregar informações valiosas. Levadas por sentimentos de bondade e boa fé, deixam-se enganar por alguma informação e pedido que de maneira racional seria facilmente bloqueada.

Podemos transportar o exemplo acima para uma mensagem muito importante no ponto de vista financeiro: O pensamento racional pode ser uma excelente pratica para quem quer evitar dores de cabeça com contas atrasadas, multas e cobrança desnecessária.

Antes de sair por aí comprando ou até mesmo antes de sair com seu cartão de crédito no bolso, lembre-se de quanto foi o estipulado para compras no seu fluxo de caixa familiar.

Não tem um fluxo de caixa familiar e não sabe quais são as suas despesas? Então talvez este seja o primeiro passo para colocar em ordem as contas e começar a buscar a sua independência financeira.

Para saber mais:
Engenharia Social

One thought on “Razão x Emoção”

Comments are closed.