Pobreza não é falta de dinheiro, é sinal de egoísmo

Certa vez fiquei analisando a atitude de uma pessoa que estava na rua pedindo dinheiro para qualquer um que passava por ela. Ela estava sentada no chão, encostada em um muro, lamentando os problemas da sua vida ingrata e pedindo que lhe dessem qualquer coisa de valor.

Observando seus pertences, notei que de um lado guardava com afinco todas as moedas que ganhava e do outro lado escondia as roupas e pertences que usaria durante o dia. Quando não passava ninguém à sua frente ela contava uma a uma, repetidas vezes, quantas moedas já havia ganho.

Passei por aquele local por mais 3 anos e ela sempre esteva lá preocupada com os seus pertences e com as suas moedas.

Ser pobre é muito diferente de não ter dinheiro durante certo período. A diferença está nas atitudes. Por mais incoerente que pareça, a verdade é que o que gera a pobreza é justamente o mesmo que gera a riqueza, ou seja, o desejo de possuir dinheiro ou bens materiais.

O rico trabalha com esse sentimento, tentando sempre torná-lo menor, menos importante enquanto concentra-se em desenvolver atitudes de respeito e solidariedade promovendo o crescimento pessoal e financeiro não só dele mas de quem está a sua volta enquanto o pobre faz exatamente o contrário permitindo que o desejo de posse e a preocupação exagerada somente com os seus problemas domine sua vida e as suas necessidades, deixando para trás todo o resto.

Ao fazer isso, ele se tornará absolutamente indiferente ao mundo e vai determinar em si e em seus fracassos a verdadeira razão de sua existência, esquecendo que devemos dar tanta importância para os outros quanto damos para nós.

Pensando sempre que os outros devem primeiro dar-lhe algo para que depois faça o mesmo ele entrará em um caminho sem volta que o leva para baixo, junto dos que não tem nada, nem amigos, nem bens, nem dinheiro.

Quem não conhece a história do lenhador que morreu de frio pois recusou-se a jogar a lenha ao fogo antes que o fogo lhe desse calor pode ter a partir de agora um ótimo exemplo para guiar os seus princípios a favor do crescimento sem a competição mas sim com a colaboração.

Ao encontrar o verdadeiro espírito de colaboração e crescimento pessoal e financeiro juntamente com as pessoas ao seu redor, você transformará a tudo e a todos e vai perceber que não mais o dinheiro ou as posses materiais que tem são tão importantes quanto os amigos e familiares que te apoiam para que você alcance a realização dos seus sonhos.

É claro que não só o egoísmo pode tornar alguém pobre. Uma boa dose de falta de planejamento e atitudes guiadas pela emoção também são vilãs, mas ao retirar da sua lista o desejo desmedido pelas coisas talvez o caminho para o sucesso se torne bem mais fácil.