De tanto medo de quebrar, quebrou

O medo está a solta. Fugiu da prisão e se esconde por aí. Está rondando a sua casa, está andando pelas ruas, sem ser percebido, entra em lojas, escritórios, faz reféns e parece nunca ser pego. Domina e paralisa, nos faz de bobos e causa seqüelas irreparáveis.

Pode parecer um vilão de filme de terror, e de fato, a cada dia, mês e ano o medo tem tirado de circulação idéias e projetos maravilhosos de pessoas boas, de empreendedores confiantes e de equipes brilhantes.

O caminho a percorrer até que um pequeno negócio, uma lojinha de shopping, um site de compras na internet ou uma “portinha” em um bairro se torne uma grande empresa, como um super portal estilo Submarino ou Americanas que faturam milhões de reais por ano ou até mesmo uma mega corporação internacional como uma Microsoft da vida é longo. São necessários esforço, dedicação, qualidades extraordinárias e um pouco (ou muito) de ousadia e persistência.

Mas então, porque nós, brasileiros, abundantes nessas qualidades, não conseguimos desenvolver empresas bilionárias em poucos anos, o que é que está faltando?

Claro que existem muitas respostas diferentes para essa pergunta, respostas que passam pelo campo social, jurídico e financeiro do nosso páis. Mas, há um agravante, o medo.

Temos medo de começar, temos medo de enfrentar dificuldades, pensamos muito e realizamos pouco, estudamos pouco e erramos muito. O medo nos congela e nos quebra.

A panificadora do seu Manoel, a lojinha de informática do José, a sorveteria da Maria, a barraquinha de cachorro quente da Gabriela. Todos eles já não existem mais, foram vítimas do medo de errar, medo do fracasso, e de tanto medo, engordaram uma estatística sombria que o Sebrae e outras instituições de apoio às micro e pequenas empresas não param de somar aos seus gráficos desumanos que cortam cabeças e desmontam empresas sem dó. Talvez uma luz ao final do túnel nos dê uma direção. É preciso estudar, projetar e só depois, partir para a prática, mas por favor, não tenha medo, não seja mais uma vítima.

Dizem os vencedores que o tempo de vida de uma empresa está ligado diretamente ao tempo de pesquisa e projeto de desenvolvimento despendido. Aproveite o mesmo tempo para adquirir coragem e enfrentar, como um herói de verdade, os problemas que surgirão.

Renove-se intelectualmente todos os dias e repita em alta voz, que é preciso eliminar o maior dos troféus dos fracassados, o medo.

No Webinsider, encontramos alguns artigos muito interessantes a respeito do Empreendedorismo e das dificuldades a serem superadas, Boa leitura!

Empreender é bater escanteio e correr para cabecear

Vai abrir empresa? Estude empreendedorismo

Brasil: criatividade x (+) empreendedorismo